Por onde começar?

Tutoriais sobre modelismo e espaço também para as dúvidas
Responder
Nautillus
Participante
Mensagens: 4
Registado: 11 Dez 2019, 20:50

Viva,

Tenho vário material ferroviário com mais de 40 anos, fruto de uma herança de família, que muito estimo. São 4 locomotivas Jouef/Lima, cerca de 15 carruagens, estações, pontes, edifícios, alguma bonecada, linhas (algumas ferrugentas), peças que não imagino para que servem e um transformador que não funciona (tem arranjo?)

Pretendo começar uma maquete e com tanta coisa que há aqui em casa, creio que não terei de gastar muito dinheiro (digo eu...), mas tenho dúvidas.

- Quais as diferenças analógico/digital?
- É possível interligar os dois sistemas?
- Preciso de mais linhas, as novas são compatíveis com as antigas que tenho?
- Como identificar as peças (algumas novas, dentro das caixas) que não faço ideia para que servem?
- Que conselhos básicos podem dar para o arranque?

Obrigado a todos.
Avatar do Utilizador
Giugiaro
Participante
Mensagens: 527
Registado: 16 Jan 2018, 01:37

Não sou propriamente modelista, mas posso responder a algumas das perguntas.

Nautillus Escreveu: 11 Dez 2019, 21:02- Quais as diferenças analógico/digital?
O analógico (DC) usa um potenciómetro que ajusta diretamente a intensidade da corrente enviada à via. Desta forma existe um controlo direto entre o potenciómetro e o comboio, mas que afeta todos os veículos que se encontram na via. Os comboios não têm som e as luzes vão-se tornando mais intensas quanto "mais depressa anda o comboio". Geralmente um layout analógico terá cantões isolados que permitem cortar a corrente cantão a cantão para que outros comboios estejam parados enquanto um faz o seu percurso.

O digital (DCC) usa um terminal computorizado e um alimentador de corrente que coloca a via sob tensão permanente. Os comboios são controlados por ID e são-lhes enviadas informações sobre o que devem fazer (acelerar, abrandar, ligar as luzes, tocar a buzina, etc). Desta forma pode haver mais que um comboio na via sendo possível controlar apenas um ou vários de forma independente. Geralmente não é necessário fazer cantonamento, no entanto convém colocar isoladores em raquetes para evitar que a inversão da polarização dos dois carris criem um curto circuito.

Supostamente qualquer comboio pode ser digitalizado com diferentes níveis de dificuldade. É necessário instalar um decoder digital.

Nautillus Escreveu: 11 Dez 2019, 21:02- É possível interligar os dois sistemas?
Não.
Os comboios analógicos ora não funcionam, ou têm um comportamento bastante errático num sistema digital.
Os comboios digitais não respondem à tensão de um potenciómetro analógico.
Em ambos os casos corre-se o risco de danificar o comboio e/ou o sistema.

Acho que alguns terminais digitais têm modos de operação em analógico, mas nunca vi um a ser usado dessa forma.

Nautillus Escreveu: 11 Dez 2019, 21:02- Preciso de mais linhas, as novas são compatíveis com as antigas que tenho?
Existem adaptadores para vias. Convém saber qual é o fabricante das vias que tem, que gama de via é e qual o código do carril.
Se o sistema que tem é da Jouef/Lima, será um sistema DC, passível de converter para DCC. Não opte pela Märklin, que é um sistema AC, mas se gosta das linhas deles, a Trix é a gama da Märklin para DC/DCC.


Algumas fotografias do material que tem ajuda a ter uma noção da idade e da tipologia do sistema que herdou e com o que pode trabalhar nos catálogos atuais.
Nautillus
Participante
Mensagens: 4
Registado: 11 Dez 2019, 20:50

Muito obrigado pelo esclarecimento. Foi uma grande ajuda.

Então, na prática, estou limitado ao analógico, ou então "deito fora" o que tenho e compro tudo novo? Não contava com essa...

Lembro de ouvir dizer (já não faço ideia onde) de ser possível colocar um modulo nas locomotivas analógicas para que funcionem como digitais. Isso existe?

Obrigado.

ps: não li bem a sua resposta. Já vi que é possível converter as locomotivas, mas quem o faz e por quanto?
Avatar do Utilizador
Giugiaro
Participante
Mensagens: 527
Registado: 16 Jan 2018, 01:37

As minhas locomotivas foram digitalizadas na Minitrem.
Como elas tinham socket NEM para digitalizar, não foi difícil de todo. Foi só o preço do decoder e mão de obra.

No caso do material sem socket, o melhor é ver caso a caso com a loja de modelismo mais próxima de si com oficina.
Nautillus
Participante
Mensagens: 4
Registado: 11 Dez 2019, 20:50

Pposso perguntar quanto ficou cada uma, para ficar com uma ideia? No meu caso o material tem cerca de 40 anos, logo não será tão simples. Digo eu...
Avatar do Utilizador
Giugiaro
Participante
Mensagens: 527
Registado: 16 Jan 2018, 01:37

Material dessa idade só mesmo sob consulta da oficina. Além disso, o meu material foi digitalizado faz já mais de 8 anos.
Avatar do Utilizador
Paulo Sousa
Participante
Mensagens: 833
Registado: 02 Abr 2013, 17:23

Nautillus Escreveu: 11 Dez 2019, 21:02 - É possível interligar os dois sistemas?
Algumas locomotivas digitais trabalham em ambos os sistemas, depende dos decoders com que estão equipadas. No entanto algumas funções extras que tenham não funcionam em analógico ou são muito básicas em analógico.

A forma mais barata de digitalizar esse material antigo será comprar decoders no aliexpress e construir um controlador DCC arduino com material chinês por cerca de 10 euros.
O ideal será deixar essas locomotivas para vitrine e comprar material novo para circular.
Além de as manter estimadas também evita as dificuldades que as locomotivas antigas enfrentam na conversão para o digital, como por exemplo motores e bastidores não adequados.
As carruagens e vagões em princípio poderão sempre circular atrás de locomotivas novas, dependendo do peso, engate e rodados.
As linhas não valem as arrelias que irão dar mais tarde se voltarem a enferrujar ou as travessas de plástico começarem a partir.
Then it comes to be that the soothing light at the end of your tunnel
Is just a freight train coming your way

ex-APAC 1270
ex-AMF 198
Responder